13/09/2010

Adjuro sensibilidade

na escrita. O lado emotivo se amarra na poesia:ato voluntário. A linha termina e algo se divide: significado trigêmeo,eu,você e ele. Zeus, sussurre progressivamente, não há pausa pra tantas vozes, essa linguagem que meta os és entre as mãos, meus dedos andam surdos, sobra espaço, o fetiche figurado se identifica com a palavra como o fiel e sua prece, longe de ser sagrada,sou displicente.
Ponte parágrafo,perdoo os sujeitos e os atos, mas conjugo todas as pessoas na plural capacidade de julgar,quem, e, quando cúmplice, padecer de culpa. Abençoada seja a margem poética, Apóstrofe:frase que soa como salmo. O discurso faz milagres.Narrar dor maniqueísta é como confessar; conjuga o verbo em todas as pessoas e ainda oculta a causa. Já sabemos da penitência, versifiquemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário