19/02/2011

prodígio





O mundo era cafona como las vegas. Os casais sentavam nos restaurantes e faziam tipos que repetem eu te amo como pedem desculpas por corromper os direitos do homem. Tudo era patético, a cor dos lençóis, as comidas na geladeira,as fotos de turistas da classe média alta, bolsas de couro italiano, maquilagem victoria's secret, blusa gola polo, cabelos sem vestígios do tempo, botox, o marido que senta ao lado da filha (ignorando inutilmente o biotipo atual da esposa), a mãe que controla o pau do filho ao invés de simplesmente se preocupar com a alimentação, a filha que pede ao pai uma plástica de natal, os avós que ligam bêbados diretamente do casino, os tios que pedem grana emprestada, o genro que toma MD, a nora que oculta a gravidez, a amante que, enquanto tudo isso acontece em las vegas, atinge voluptuosamente o limite do quarto cartão de crédito do marido da amiga de infância que emagreceu 4kg para a viajem aos estados unidos com a família.