21/04/2011

Cinematic


O menestrel que roda meus sonhos é esquizofrênico e meio cego: a esquizofrenia é de outras vidas, a miopia é fator determinante (no processo de afetação doei esse dom pra quem decupasse minhas experiências oníricas). É adicto por Ritalina 10mg e curte tomar strawberry tea em xícaras de porcelana japonesa ao longo da sessão full script. tem problemas no sistema urinário, usa chapéu para preservar seu olhar opaco (diante do mundo), fuma cachimbos, controla a intensidade da aflição no plano detalhe. seus dedos seguram uma lanterna para os possíveis blecautes no circuito de uma noite tipicamente proustiana. tem Bergman como mentor. sua excitação consiste em espelhar o enredo nas linguagens corporais; calafrios, chutes, tosse, tudo que afeta o corpo, desde voar até tropeçar em metáforas cotidianas banais (escadas). Ele tem apego à trilhas emotivas, embora se envolva com o sonoro (reverbero de suas insuficiências visuais) desconhece o conceito de alteridade. é piegas no fechamento, nunca abandona o fade out.


Um comentário:

  1. Eu nunca tinha dito, mas sempre te leio. Saiba que eu estou por aqui, um abraço.

    ResponderExcluir